fbpx
ABRAFAC apresenta os números mundiais do setor de facilities no FM Debate

O presidente da Associação, Thiago Santana, revelou os indicadores do setor com a atualização do Estudo Global do Mercado de Facility. A pesquisa foi realizada pela ABRAFAC, em parceria com a GlobalFM e conduzida pela Frost & Sullivan em mais de 40 países de todos os continentes.

O segundo momento do FM Debate, evento realizado pela Associação Brasileira de Facilities, no dia 20 de fevereiro, em São Paulo, foi marcado pela apresentação dos números do mercado mundial de facilities. A palestra do presidente da entidade, Thiago Santana, foi feita em cima da atualização do Estudo Global do Mercado de Facility, encomendado pela ABRAFAC, em parceria com a GlobalFM e conduzido pela Frost & Sullivan em mais de 40 países de todos os continentes.

Rumo aos 20 anos (2004 a 2024), a ABRAFAC participou da contratação da pesquisa global de mercado como uma das estratégias para mapear o segmento para os profissionais de facilities. “Nosso grande questionamento sempre foi ‘qual o tamanho do mercado?’, ‘onde está concentrado?’, ‘tem muita terceirização?’, ‘está mais no setor público ou privado?’. Temos 15 anos de trajetória e é importantíssimo nos associar a outros grupos mundiais para realizar um estudo desta relevância, com dados inclusive do Brasil. E é no FM Debate que revelaremos os indicadores em primeira mão”, disse Santana.

Tendência global

O mercado de facilities está estimado em US$ 1,15 trilhão e segue em crescimento. “No relatório anterior, houve um aumento de 7,4%, sendo que 50% desse montante é terceirizado (outsourced), ou seja, as organizações buscam empresas de fora, especializadas em prestar serviços que não são o negócio principal do contratante. Uma tendência que vem aumentando é a inclusão de serviços integrados. Cada vez mais o mesmo prestador fornece mais e mais atividades, como manutenção, limpeza etc”, revela o presidente da ABRAFAC.

Os dados também apontam 11,5% da atividade de facilities na penetração no mercado. “Ainda é pouco, mas representa 1,7% da força de trabalho nos campos pesquisados. A maior participação foi no setor primário. Quando falamos que a cada 59 profissionais, um atua no segmento, já é representativo”, pontua Thiago.

Em relação ao setor público e privado, o segundo é maior em desenvolvimento, com 64%. Atualmente, o continente africano é o que mais cresce, porém, o americano é o maior, mais consolidado. Comparando 2015 com 2017, o estudo também mostra que o setor de facilities registrou participação de US$ 1 bilhão na economia, versus US$ 1,15 bilhão no ano retrasado. O mercado de serviço terceirizado chegou próximo a US$ 500 bilhões, diante de US$ 550 bilhões, em que as empresas atuam com seus recursos internos e, fatalmente, em algum momento buscarão algo fora dos seus muros.

Mercado em crescimento

A área de facilities reflete algumas questões sociais. Os mercados asiáticos, como todos os outros, vem apresentando uma crescente participação percentual, mas percebe-se uma estagnação nos players americanos e europeus”, analisa o presidente, afirmando que já avançamos muito no desenvolvimento da atividade. “Eles não têm muito para onde ir. Ao contrário dos países latinos que tem uma série de campos abertos, como a Ásia que tem espaço para expansão. Os Estados Unidos estão à frente na questão de inovação, pois estão pensando em formas diferentes de fazer a mesma coisa para evoluir”.

Na América do Sul, Brasil e México lideram em termos de maturidade e desenvolvimento. Já a Argentina e Colômbia vem como segundo time. A África registrou um excelente progresso e o Middle East também vem atuando forte, mas ainda é afetado por questões internas, sua grande ebulição será em 2025.

Tendências

Os problemas e tendências que temos no Brasil são os mesmos de outros países: Produtividade do negócio; Consumo de serviço – não se compra mais nada, visto a atuação do Uber, Yellow, Coworking etc; Sustentabilidade. “Estamos alinhados com o que acontece nos mercados globais. Onde perdemos? Na questão de novas tecnologias por questões tributárias. Nossa moeda é fraca em relação ao dólar e ao euro. Mas, em termos de desafios estamos na mesma página”, aponta o dirigente da Associação.

Além disso, outras tendências foram reveladas pelo estudo da Frost & Sullivan. Os contratos de performance são por serviços, não mais pelo número de profissionais. Não interessa mais quantos funcionários são necessários para limpar um ambiente, por exemplo. O contratante quer o serviço feito. Cada vez mais as parcerias e colaborações buscam pelo conhecimento compartilhado. O Cloud Service está cada vez mais Driving C-level Relantionships. É crescente a área de facilites falando com as organizações.

Atualmente, as parcerias compartilham risco, prezam pelo longo prazo, possuem transparência e consistência, modelo self delivery, serviços de valor agregado, serviços internacionais integrados, com soluções do começo ao fim, integração com IT, CSR e Worksplace Health and Safety.

Brasil

No relatório, o Brasil recebe destaque pela adoção de sistemas e certificações LEED, sendo o quarto em número de edificações certificadas. “O mercado brasileiro está estimado em US$ 16,4 bilhões, o que dá aproximadamente R$ 60 bilhões. Sempre divulgamos algo em torno dos R$ 100 bilhões, portanto a pesquisa nos indica que estamos próximos da realidade”, comemora Santana.

Desses US$ 16,4 bilhões, R$ 5,7 bilhões estão concentrados no setor público e R$ 10,6 bilhões no privado. Deste total, US$ 9,5 bilhões de serviços ainda estão internalizadas nas empresas, sendo realizados por funcionários de facilities próprios das companhias. “Houve um crescimento de 7,1% de 2016 para 2017 do setor de facilities e a indústria e o comércio foram os mais desenvolvidos. A atividade representa cerca de 1,1% da força de trabalho, o que é muito significativo frente ao crescimento do nosso país”, finaliza o presidente da ABRAFAC.

A apresentação completa com todos os dados apresentados está disponível na biblioteca ABRAFAC com acesso exclusivo para associado. Clique aqui para baixar.


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O 14º PRÊMIO ABRAFAC MELHORES DO ANO 2019

O Prêmio ABRAFAC Melhores do Ano, a principal premiação do setor, foi criado com objetivo de promover conhecimento e valorização de projetos feitos por profissionais e empresas do setor de Facility Management. Isso estimula a produção e disseminação de casos de sucesso dentro do segmento. Participe se inscrevendo no 14º Prêmio ABRAFAC Melhores do Ano 2019 e ajude a escrever novos capítulos na história dos facilities.

Este ano teremos algumas melhorias, como uma etapa adicional com votação pública pela internet que dará a oportunidade para os melhores classificados (12 até 24 trabalhos) de melhorar a nota media recebida na fase dos jurados (mais detalhes e outras melhorias estão no regulamento / edital no hotsite do prêmio – abrafac.org.br/premio).

Assim, convocamos a todos que apresentem suas ideias inscrevendo no 14º Prêmio ABRAFAC Melhores do Ano 2019!

VOCÊ JUNTO AOS MELHORES DA ÁREA DE FACILITIES DO BRASIL!

=> MAIS INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES AQUI <


Com reportagem da ABRAFAC.

Fechar Menu
×

Carrinho