fbpx
Associados ABRAFAC apresentam temas atuais e tendências em eventos em São Paulo

Nos dias 8 e 9 de maio, São Paulo recebeu a primeira edição da América Latina da WORKTECH, série internacional de conferências que acontece ao redor do mundo, já tendo sido realizada em Londres, Nova York, São Francisco, Amsterdã, Xangai, Cingapura e Melbourne.

Dinesh Acharya, Diretor de Consultoria Estratégica e Workplace Strategy da Jones Lang LaSalle – empresa associada à ABRAFAC –, esteve no Brasil para mediar o painel “Futuro dos Ambientes de Trabalho”. Nele, executivos da GSK, HP e Accenture falaram sobre como os escritórios refletem seu modo de trabalhar e podem contribuir para produtividade e performance dos negócios. Os executivos destacaram a importância do change management no processo de transição dos ambientes de trabalho e da forma de trabalhar e como as ferramentas da Tecnologia da Informação dão suporte às novas perspectivas de trabalho nas empresas, seja no próprio escritório ou remotamente. Outro ponto também discutido no painel foi a concepção dos novos espaços de trabalho para estimular a rede de relacionamentos, reduzindo a hierarquia e a burocracia no cotidiano das empresas.

Dinesh Acharya, da Jones Lang LaSalle

Para Acharya, os ambientes de trabalho atuais precisam atender às necessidades globais das empresas em relação ao desempenho financeiro, agilidade, hiper-colaboração, inovação, resiliência, sustentabilidade, atração e retenção de talentos diversos. O executivo destacou que os projetos de escritórios estão mudando do “one-size-fits-all” para uma abordagem que privilegia mais agilidade, flexibilidade e a possibilidade de escolha do melhor local no escritório para a realização de cada tarefa. “Essa liberdade de escolha não se limita ao espaço do escritório, inclui uma vasta rede de opções na esfera urbana, como home office, escritórios virtuais e espaços terceirizados, entre outros”, disse.

Em relação à produtividade, o executivo explicou que, inicialmente, é importante que cada empresa identifique quais aspectos deverão ser medidos para definir sua produtividade. Com estes critérios definidos, as organizações precisarão olhar para seus espaços de trabalho para identificar e medir como estes podem afetar a produtividade da empresa. “O local de trabalho adequado pode promover a produtividade por meio da velocidade e da qualidade na tomada de decisões, da atração e retenção de talentos, da inovação, da rapidez de resposta a mudanças e, também, por meio da saúde e do bem-estar”, concluiu Acharya.

Entre os dias 21 e 23, os associados da ABRAFAC também enriqueceram a programação do 10º Congresso INFRA, ministrando palestras de temas atuais e variados, compartilhando seus conhecimentos e levando experiências inspiradoras para o dia a dia dos facilities managers.

Marco A. Vasquinho, da Serasa Experian

O associado Marco Antônio Vasquinho, que é Gerente Executivo da Serasa Experian, esteve ao lado do presidente da organização, Ricardo Loureiro, na palestra “Presidente X FM”.  Nela, os congressistas foram brindados com o dia a dia empresarial sob o ponto de vista da presidência e do executivo de FM.

Enquanto o CEO falou sobre as preocupações inerentes ao cargo e de que forma a área de Facility Management está alinhada ao planejamento estratégico do negócio, o Gerente Executivo contou como foi sua carreira para responder à demanda e criar uma sinergia de muito sucesso.

Responsável pela abertura do evento por dois dias e também pela presidência da mesa, Gessé Campos Camargo, outro associado da ABRAFAC, complementou as palestras com suas experiências e conduziu de forma muito interativa os debates com a plateia.

No último dia do Congresso, o associado Marcelo Freitas, Gerente de Infraestrutura da TAM, foi convidado para contar um pouco sobre “Gerenciamento de FM em ambientes de fusão/aquisição” e fez uma exposição conjunta com Sebastian Myler, que ocupa o mesmo cargo na LAN. Segundo eles, com a criação da LATAM há um ano, a área de Infraestrutura foi uma das primeiras a ser acionada, pois, com a criação de novas áreas de negócios, um dos primeiros desafios foi acomodar as pessoas que estavam sendo expatriadas do Chile para o Brasil e vice-versa.

No processo de fusão, o importante é conhecer outra cultura e, para isso, é preciso ter disposição. Depois, é necessário integrar as equipes, conhecê-las, assim como a área administrada, os serviços, as instalações, os padrões de infraestrutura, os KPIs, SLAs etc.”, analisou Marcelo, após informar que a área construída administrada passou a ser de 794 mil m2 e que o número de empregados da LATAM é de 50 mil pessoas, ou seja, clientes da área de FM.

Marcelo Freitas e Sebastian Myler, da LATAM

Um grande desafio citado foi a busca por uma padrão comum, partindo de dois distintos, além de outros para o futuro, como aumentar a participação de FM no planejamento estratégico e desenvolver facilities globais, criar uma ferramenta de gestão e um master plan para médio e longo prazos, ter uma comunicação assertiva, otimizar custos, padronizar instalações operacionais, fornecedores globais e branding.

Resiliência foi a palavra usada para encerrar a palestra, quando Marcelo Freitas deixou uma mensagem final: “as dificuldades se tornaram desafios; as diferenças se transformaram em sinergia e as incertezas viraram objetivos”.

Nos dois eventos, WORKTECK e INFRA, Sérgio Athié, da Athié Wohnrath – profissional e empresa associados à ABRAFAC –, esteve falando sobre o novo papel do arquiteto que, atualmente, mais
do que um criador de ideias, tem que participar como um parceiro estratégico. Na palestra “Pessoas e Espaços: definindo o sucesso”, ele destacou a forma de capitalizar o alto custo de pessoas e espaços para criar escritórios de alto desempenho, com espaços próprios para a maneira de se trabalhar hoje em dia.

Sérgio Athie, da Athié Wohnrath

De acordo com o palestrante, os novos desafios são criar vantagens competitivas, atrair e reter talentos, engajar funcionários e gerar inovação. “É fundamental criar espaços que estimulem a inovação e, para tanto, devemos compreender o presente para, então, planejar o futuro das empresas clientes e projetar customizando soluções”, afirmou.

Sérgio Athié posicionou o facilities como elemento essencial para enfrentar tais desafios e chegar às melhores soluções, uma vez que é quem conhece o dia a dia da empresa, os problemas que enfrenta, destacando também a importância do relacionamento dos arquitetos com os profissionais de Recursos Humanos e Tecnologia da Informação.

A palestra do sócio fundador e membro do Conselho Deliberativo da ABRAFAC, Paulo Fontebasso, encerrou a edição 2013 do Congresso INFRA, trazendo uma tendência do mercado que exige ainda mais profissionalização: “Gerenciamento de Facilidades em Prédios Residenciais: um mercado promissor”.

Paulo Sérgio Fontebasso, da Cushman &
Wakefield.

O Gerente de Operações da Cushman & Wakefield para a América do Sul informou que as pessoas querem ser servidas com qualidade e pronto atendimento e, por isso, aperfeiçoar a maneira de construir, manter e gerenciar espaços que acolhem moradores ao entrar, permanecer e sair de casa tem que ser feito de forma profissional e diferenciada.

A principal diferença, segundo Paulo, é que, quando falamos em comercial, temos mais engenheiros, um lado mais técnico. Nos empreendimentos residenciais, o facilities é muito mais administrador porque não tem grandes sistemas, mas muitos serviços como, por exemplo, pay-per-use e atendimento personalizado.

Quero deixar muito claro para os facilities que existe uma nova porta de empregabilidade para o futuro. É uma onda que começou há um ano e vai crescer muito com as entregas dos empreendimentos residenciais, que começam já este ano e seguem pelos próximos. O mesmo que tem hoje um empreendimento comercial deverá ser levado para dentro dos residenciais e os profissionais precisam estar preparados”, alertou.

Fechar Menu
×

Carrinho