Com participação de dois especialistas americanos e um brasileiro, o segundo painel desta quarta, 2 de outubro, último dia do Congresso & Expo ABRAFAC 2019, aprofundou o tema “Comunicação, Formação e Gestão de Dados: as ferramentas do futuro e os cuidados de FM na proteção de dados”. O mais importante evento do setor de facilities no Brasil foi promovido pela Associação Brasileira de Facilities – ABRAFAC no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo/SP.

O painel focou na seguinte questão: “A infraestrutura das cidades está mudando, não só para atender a nova dinâmica das populações, mas também para trazer eficiência na administração pública. Quais as principais tendências na área para os próximos anos e como isto afetará a gestão destes serviços?”

Thiago Silva abriu as apresentações falando sobre “A Lei Geral de Proteção de Dados e os Desafios para o FM”. De acordo com ele, a Lei Geral de Proteção de Dados, nº 13.709/2018, entra em vigor em agosto de 2020, contudo, o mercado já deve começar a se preparar. A legislação visa cobrar responsabilidades a qualquer atividade que envolva a utilização de dados pessoais.

Thiago destacou que os desafios para o FM estão relacionados ao uso de dados obtidos por meio de recursos tecnológicos. Muitas informações utilizadas são sigilosas. Se a empresa classifica e armazena dados, é preciso avaliar o impacto de mantê-los e o que aconteceria caso houvesse um vazamento.

A lei, explicou ele, não exige mudança de processos, mas a garantia da segurança das informações e dados obtidos por uma empresa. Desta forma, é preciso criar modelos de negócio à luz da privacidade e segurança.

Durante a palestra, Thiago Silva ainda listou métodos para criptografar e proteger o que está sendo armazenado pelas companhias.

Em relação ao evento, Thiago destacou que é muito bacana por trazer cabeças e pensamentos diferentes com profissionais de diversos países. “Precisamos refletir sobre as discussões de facilities que foram abordadas aqui no evento para melhorias no futuro. Estamos avançados em alguns aspectos e em outros nem tanto. É importante para abastecer informação para mudanças no futuro”, pontuou. “Temos que aproveitar a lei para mudar nossa cultura e colocarmos a nossa privacidade de dados como um elemento inerente aos nossos negócios”, informou.

John Carrillo discorreu sobre o tema “Telecom transformation – Opportunities and Challenges for FMs”

Em sua apresentação, o palestrante destacou exemplos que mostram que a internet das coisas vai mudar para sempre os negócios em facility management e no mercado imobiliário. Isso porque as empresas recorrem à tecnologia para garantir vantagens competitivas.

Com sistemas inteligentes, é possível reduzir o custo de manutenção, o consumo de energia, a pegada de carbono, além de diminuir ordens de serviço e otimizar processos, de modo geral, entre outros benefícios para as empresas.

John Carrillo também falou sobre métodos existentes para otimizar as formas de trabalho de uma empresa, como estratégias e soluções criadas em campus de universidades.

Neil Shah, da Royal Institution of Chartered Surveyors- RICS, abordou o tema “Smart World for FMs”

Neil Shah apresentou a RICS (Royal Institution of Chartered Surveyors). Trata-se de um órgão que atua nas áreas de imóveis, construção civil, infraestrutura e desenvolvimento de terras.

Segundo ele, a organização está presente em 148 países, desenvolvendo soluções para problemas causados por fatores externos, como instabilidade, falta de recursos, entre outros problemas globais.

O especialista frisou que as tendências socioeconômicas atualmente resultam no crescimento das cidades e, ao mesmo tempo, desigualdade social, mudanças demográficas, escassez de recursos e mudança de poder econômico.

O cenário dos novos negócios, por sua vez, explicou Neil Shah, abrange novas tecnologias, modelos de negócio, big data e mercado imobiliário como uma classe de ativos. Com base neste panorama, o palestrante apresentou como o desenvolvimento tecnológico pode contribuir para o mercado de facility management e quais são os impactos disso no mercado de trabalho.

O especialista parabenizou a ABRAFAC pelo papel relevante que vem representando para o setor de FM no Brasil.