ESTUDO TRAÇA PERFIL DO FACILITIES NO BRASIL E PROJETA CRESCIMENTO PARA O SETOR

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Facilities – ABRAFAC em parceira com a Polo Pesquisas, revelou dados importantes para o setor de facilities (gestão de serviços), que continua sendo um ímpar positivo entre a economia nacional. O levantamento foi desenvolvido em torno de 650 profissionais. Com o percentual de 69,46% de homens e 30,54% mulheres.  A idade média dos profissionais entrevistados concentrou-se entre 31 e 50 anos (61,08%) e a maioria possui renda superior a R$ 7mil (70,44%).

 

O campo de atuação deste tipo de profissional é amplo, dado que existem diversos tipos de instalações que requerem cuidados variados. Sendo por isso complicado abarcar em uma definição estendida tudo o que um analista de facilities pode ter como responsabilidades inerentes ao cargo. Contudo, zelar pelo bom funcionamento das instalações, controlar o que acontece dentro delas e lidar com terceirizados ou funcionários da empresa que trabalhem nas instalações parecem ser algumas das responsabilidades fixas.

 

Dados da consultoria Jones Lang LaSalle revelam que quando as empresas terceirizam tarefas individualmente a economia gira entre 3% e 5%; na contratação de uma empresa multisserviços, os gastos diminuem entre 4% e 7%, enquanto com o gerenciamento integrado das facilities a empresa poupa entre 9% e 14% dos gastos totais.