FM Debate 360º: terceiro dia aborda inovações frente à nova realidade e desmistifica conceitos

Informações foram apresentadas para Facility Management estratégico nesta quarta-feira

O terceiro dia do FM Debate 360º foi realizado nesta quarta-feira, 17 de junho, com o Módulo 270º. Desta vez, os participantes abordaram novas tecnologias e inovações para o Facility Management estratégico e desmistificaram conceitos populares trazidos com a pandemia do coronavírus.

Ao todo, serão quatro dias de discussões sobre a perspectiva do Facility Management durante a pandemia de Covid-19. O evento é promovido pela ABRAFAC – Associação Brasileira de Facilities.

Os debates serão realizados até esta quinta-feira (18), sempre das 17h às 18h30. As discussões estão sendo feitas online e transmitidas pelo canal do YouTube da associação. A temática é “Da Pandemia à Estratégia – A perspectiva do Facility Management frente ao `novo normal´” e a cada dia o tema será abordado sob uma ótica diferente, com especialistas de diversos segmentos.

O Módulo 270º foi mediado por Ricardo Crepaldi, diretor secretário da ABRAFAC. Participaram como palestrantes Camila Nagay, Green Buildings Specialist da Athié Wohnrath; Thiago Lopes, gerente técnico da Spartan do Brasil Produtos Químicos Ltda; Ricardo Avila, gerente comercial nacional da TB Facilities; Arnaldo Basile, presidente executivo da ABRAVA; Eduardo Miranda, Senior Manager Sales Business Development da Honeywell; Paulo Jubilut, CEO da milliCare Brasil.

“Cada representante vai falar um pouco de aspectos que foram tratados em nosso primeiro FM Debate na segunda-feira com os especialistas dos hospitais Albert Einstein, Sírio-Libanês e AC Camargo, que colocaram para nós pontos importantes de reflexão, que são inseridos neste momento”, explicou Ricardo Crepaldi, no início do debate. Leia também: FM Debate 360º abre com médicos explicando sobre a covid-19.

O presidente executivo da ABRAVA, Arnaldo Basile, falou sobre a importância do ar-condicionado em meio à pandemia de covid-19, desmistificando seu uso. O profissional iniciou a fala esclarecendo que o equipamento faz bem.

“Ar-condicionado é um sistema mecânico que faz simultaneamente controle de temperatura, umidade, renovação, filtragem, pureza e circulação do ar, para evitar os bolsões por falta de renovação de ar adequada. Além disso, há o controle de ruído”, detalhou.

Por sua vez, Paulo Jubilut, CEO da milliCare Brasil, falou sobre a higienização de carpetes e superfícies porosas. Além disso, o profissional afirmou que não faz sentido retirar o tecido da empresa, pois não há risco de contaminação, e detalhou os cuidados necessários para evitar a proliferação da covid-19 por meio de uma limpeza adequada.

“Estamos aqui para poder defender o fabricante de carpete. No Brasil são 60 indústrias, que geram 4 mil empregos diretos e em torno de 12 mil indiretos, entre instalador, revenda e assim por diante. Eles acabam sendo judiados de forma até um pouco injusta e, se pensar no papel social da indústria, de forma irresponsável. Existe uma técnica para cuidar do tecido. A milliCare por exemplo está há 20 anos no Brasil. Não depende só da indústria ou do prestador de serviços, mas das pessoas que envolvem esse processo”, disse Jubilut.

Abordando outro segmento, Camila Nagay, Green Buildings Specialist da Athié Wohnrath, explicou que quando o isolamento social começou a empresa formou um comitê, com várias lideranças. O grupo tinha diversas missões, como fazer as obras continuarem andando de forma segura e identificar os próximos passos e como serão os escritórios no futuro.

“Fizemos uma pesquisa de mercado com nossos clientes, mandamos para mais de 3 mil pessoas. Com esses dados a gente montou uma cartilha, até para que a gente pudesse entender e classificar os temas que estavam ali sendo abordados. O projeto e construção de um escritório envolvem tanto a especificação do material quanto as tecnologias e o comportamento humano dentro disso tudo”, explicitou.

Para abordar a questão tecnológica, Eduardo Miranda, Senior Manager Sales Business Development da Honeywell, detalhou os recursos utilizados pela empresa neste período. “A tecnologia é um ponto importante, deve acompanhar em todo o momento a volta aos escritórios e à normalidade. O principal foco que temos é dar certeza e tranquilidade aos clientes, visitantes e funcionários”, disse Miranda.

Ricardo Avila, gerente Comercial Nacional  da TB Facilities, falou sobre as mudanças trazidas pela pandemia de covid-19 e a atuação da empresa, que está no mercado há 54 anos e diversos segmentos. “Em princípio, desenvolvemos os protocolos para cada segmento: escolas, indústrias, estádios, shows, eventos. Somos responsáveis pela limpeza de vias públicas das principais cidades do país e atuamos no setor hospitalar que está no centro desse cenário”, reiterou.

“Aproveitamos nossa expertise hospitalar para transferir os processos de uma forma adaptada a ambientes de outros segmentos. Adaptamos para características específicas de cada ambiente corporativo”, disse.

Por fim, Thiago Lopes, gerente técnico da Spartan do Brasil Produtos Químicos Ltda, por sua vez, compartilhou conhecimentos específicos sobre a área de higienização. “O mercado virou de cabeça para baixo. Alguns produtos que tinham uma demanda um pouco maior acabam se tornando carro-chefe e o que era carro-chefe acaba sendo produto de baixa vendagem e o mercado procurando soluções milagrosas. “Fizemos webinars para orientar esse público, que estava desesperado”, ressaltou o palestrante.

O Módulo 270º, que integra o terceiro dia do FM Debate 360º promovido pela ABRAFAC, está disponível na íntegra aqui.

FM Debate 360º abre com médicos explicando sobre a covid-19

FM Debate 360º: segundo dia discute importância de ressignificar conceitos para retomada de empresas

FM Debate 360º: encerramento fala sobre ‘novo normal em empresas de facilities

Não perca amanhã, 18 de junho, das 17h às 18h30, o último dia o FM Debate 360º. Clique aqui para conhecer os participantes e aqui para acompanhar o evento ao vivo. Aproveite para se inscrever no canal e ativar as notificações.

Por Jéssica Marques/Foco 21 Comunicação