FM Debate aborda desafios das mulheres em FM, Property e Workplace 

Evento foi realizado nesta quarta-feira, 10 de março, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, e teve como debatedoras Veronica Marico Mori, Marcia Martini Ferrari e Ana Maria Duarte. A moderação foi feita pela presidente da ABRAFAC, Irimar Palombo.

 Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado na segunda-feira, 8 de março, a Associação Brasileira de Facility Management, Property e Workplace – ABRAFAC realizou um FM Debate especial. O tema desta quarta-feira, 10, foi “Belas e Feras – Os desafios das mulheres de FM, Property e Workplace no dia a dia”. O evento foi mais uma edição do “FM Debate”, transmitido online pelo YouTube da associação. 

Na ocasião, a mediação do debate foi feita pela presidente da ABRAFAC, Irimar Palombo. A também sócia-fundadora da associação é head de Infraestrutura e Facility Management no SESC-SP (Serviço Social do Comércio). 

 

“Este evento é uma celebração pelo Dia Internacional da Mulher. É uma forma de nós nos lembrarmos sobre a importância de manter a memória do passado, de tudo o que foi feito para chegar até aqui e como construir um futuro melhor, como mulheres e homens melhores, sendo bons modelos de sucesso e respeito para nossas novas gerações”, disse Irimar. 

 Ao todo, três mulheres integraram o debate: Veronica Marico Mori, Marcia Martini Ferrari e Ana Maria Duarte. As participantes falaram sobre os desafios e a rotina nos setores de Facility Management, Property e Workplace. 

 Veronica é formada em Engenharia Civil, com mais de 18 anos de experiência nas áreas de manutenção predial, operações prediais, gestão de contratos e serviços entre os setores industrial, financeiro, startup, condomínios, aeroviário e alimentício. Também integra o Grupo Mulheres de Facilities e o Grupo de Gestores de Facilities – GRUPAS. 

No FM Debate, Veronica disse que, por meio do Facility Management, foi possível enxergar os “prédios vivos”, que são as pessoas que interagem com os espaços. Foi essa relação, inclusive na época do estágio, que encantou a engenheira desde o início no setor.

  “Como gestora, sou voltada a atingir os resultados, então isso acaba fazendo com que percorra a construção de time, comunicação eficaz, treinamentos e toda essa questão, para atingir uma performance, construindo relacionamento com os pares. Isso é o que nos motiva para estabelecer metas e sempre alcançá-las”, afirmou, durante o debate.

 Já Ana Maria é da área de Property, pós-graduada em Controladoria e Finanças e graduada em Administração com ênfase em Processos Gerenciais. Possui experiência em empresas nacionais e multinacionais de grande porte na área de Facilities, com atuação em prestadora de serviços, indústrias farmacêuticas e rede de varejo. Além disso, é fundadora do grupo Mulheres de Property. 

 Ana contou que começou na área de Facility Management mesmo sem saber que o trabalho que exercia fazia parte desta área. Em um clube de São Paulo, a profissional fazia a organização para os eventos e exposições. Após alguns anos, Ana migrou para a área de Property em uma multinacional do ramo imobiliário. 

“O meu principal desafio é comunicação e eu acho que é um desafio diário de todas nós. Precisamos nos comunicar com todos, em todos os níveis hierárquicos, nos fazer entender por todos eles e fazer com que eles entendam e ‘comprem’ nossas ideias para que a gente possa atender da melhor forma o nosso cliente. Fazer esse engajamento das equipes é sempre um grande desafio e, para isso, é preciso relacionamento”, relatou.

 Por sua vez, Marcia é Senior Director Infrastructure Latin America no GRI Club e co-fundadora do Infra Women Brazil, grupo que incentiva mulheres na área de infraestrutura. Além disso, a profissional também é diretora de certificação da ABRAFAC. 

Durante o debate, Marcia afirmou que se formou em Arquitetura na FAU-USP (Universidade de São Paulo). Na época, ela ainda não havia tido contato com a área de manutenção do setor. Alguns anos depois, trabalhando na Cushman & Wakefield, ela começou a atuar com Facility Management. A profissional também detalhou os principais desafios e contou um pouco sobre a rotina do trabalho.  

“Como estilo de gestão, é muita comunicação. O grande desafio é quando há expectativas diferentes do cliente ou do funcionário. A melhor forma de as coisas acontecerem é primeiro tentar alinhar expectativas, para se ter menos frustração e mais prazer em saber que estamos fazendo a coisa certa. Não é fácil, mas é o que a gente tem que fazer”, contou.