Perfil ABRAFAC: Frederico Behmer, de sonhador a sócio-fundador

“A fundação da ABRAFAC – Associação Brasileira de Facilities, em 2004, foi um marco para o setor de Facility Management no Brasil. Até aquele momento não se sabia exatamente como definir e/ou reconhecer as atividades desenvolvidas por esse setor. Em outros países os termos serviços de facilities, engenheiro de facilities e gerente de facilities já eram comuns e usuais, mas no Brasil não. Conseguimos desta forma e com muito esforço até hoje, mostrar quem somos, o que fazemos e como fazemos e desta forma dar diretrizes e visão de futuro para os que estão ou pretendem estar e atuar nesta área multidisciplinar, que é a área de facilities.”

Com essa lembrança, Frederico Behmer conta como, em 2003, um grupo de “sonhadores” trabalhava para criar uma associação que representasse os profissionais da área de Facilities. O sócio-fundador já participou da ABRAFAC como membro do Conselho Deliberativo, depois como diretor administrativo e novamente atuante no Conselho Deliberativo.

“Em 2004 nascia a ABRAFAC, a única entidade, sem fins lucrativos, que representa os profissionais que atuam no Facility Management, Property e Workplace, e eu estava entre eles. Tivemos bons momentos e muitas discussões até chegarmos na formatação que desejávamos para poder iniciar a associação e o sonho se tornar realidade”, relembra.

Em 19 de julho, a associação comemorou 16 anos. Assim, nada mais justo que homenagear aqueles que são parte essencial de toda essa história de sucesso, portanto, demos início à série Perfil ABRAFAC. Frederico Behmer está entre os membros que contribuíram desde o início para tudo acontecer.

“Tenho me dedicado à ABRAFAC desde sua ‘gestação’ e procurado ajudar a desenvolvê-la cada vez mais, por acreditar que esta será a melhor maneira para que os atuais e futuros profissionais de Facilities possam ser reconhecidos pelos seus serviços. Tenho procurado fazer isso com citações diversas em palestras e seminários, informando de sua existência e sua importância”, conta Behmer.

“Nos últimos dois anos e meio tenho trabalhado com um grupo de profissionais de Facilities, muitos deles pertencentes a ABRAFAC, na tradução das normas da série ABNT NBR ISO 41000. E estas normas para Facility Management vem contribuir para alinhar a comunicação, estabelecendo uma linguagem comum para o mercado brasileiro, considerando que atualmente há muitas diferenças não só de conceitos, mas também de posicionamentos – sejam em âmbitos culturais, corporativos, legais, setoriais, técnicos, ambientais, econômicos e políticos”, diz também.

Trajetória em Facilities

Desde 2015, Behmer trabalha na empresa própria, a BLUE Treinamento e Desenvolvimento, onde oferece treinamento e desenvolvimento de diversos serviços na área de Facility Management.

“A minha atuação na área teve início em 1976, quando fui contratado pela Indústrias Villares – Divisão Elevadores SA como engenheiro eletrônico para dar manutenção às máquinas operatrizes CN que estavam chegando ao Brasil, depois vieram as CNCs e a área de atuação do engenheiro eletrônico na manutenção foi crescendo”, conta.

Em 1984, chegou a Behmer uma proposta da Sandvik do Brasil S/A Indústria e Comércio para ser chefe de Manutenção Geral. Neste momento começou a aproximação à área de Facilities. Em seguida, o profissional trabalhou na Wapsa Auto-Peças Ltda comocChefe do Departamento de Manutenção Preventiva e nas Indústrias Arteb S/A como supervisor de Manutenção Geral, com foco em instalação elétrica de baixa e média tensão.

“Foi no meu emprego seguinte, na Motorola Industrial Ltda, que expandi a atuação na área como de gerente de Facilities, pois esta função lá existia e tive a oportunidade de acompanhar desde a terraplanagem a construção na nova fábrica e os novos escritórios. Conforme as etapas do complexo eram concluídas e entregues para entrar em produção, a equipe de Facilities passava a atuar assumindo suas respectivas responsabilidades. Desta forma, garantindo a satisfação dos ‘nossos clientes’ e a produção da fábrica sem interrupções com a entrega dos insumos básicos para que isto ocorresse. Foram treze anos de desafios e muito aprendizado visando sempre suprir as necessidades básicas dos funcionários e clientes”, relembra.

Além disso, o profissional trabalhou na Jones Lang LaSalle Industrial Ltda como gerente de Infraestrutura II e com o desenvolvimento e implementação do departamento de Facilities na América Latina para um cliente do setor financeiro.

Depois, foi contratado na A100 Row Serviço de Dados Brasil Ltda (Amazon Web Service), como gerente de Programas Técnicos trabalhou com os gerentes de TI e outros líderes de departamento para coordenar projetos, gerenciar capacidades e aperfeiçoar a segurança, desempenho, confiabilidade e eficiência da instalação, entre outras funções.

Behmer é formado em Engenharia Elétrica, na modalidade Eletro eletrônica, com pós-graduação em Administração de Empresas, Gerência de Projetos e MBA Empresarial. Obteve o “Certified Data Centre Management Professional” CDCMP™ e o certificado de qualificação BTEC da Edexcel.

Citações que definem FM para Behmer

Na visão de Behmer, a norma ABNT NBR ISO 41001:2020 bem consegue definir e sintetizar a importância da área de Facilities.

“Facility Management é uma função organizacional que integra pessoas, espaços e processos dentro de um ambiente construído com o objetivo de dar conforto, melhorar a qualidade de vida das pessoas e a produtividade do negócio principal.”

Além disso, Behmer cita uma grande amiga, Lea Lobo, para falar sobre o tema. “Os profissionais que atuam em Facilities Management (FM), em todo o mundo, têm sido reconhecidos por suas contribuições para a estratégia e a rentabilidade nos negócios, para a saúde e segurança dos ocupantes dos edifícios, por suas inovações que impulsionam o desempenho dos ambientes e por darem suporte à produtividade do trabalho. Nos bastidores desta edificação existe a perfeita operação desses serviços e o funcionamento de todos os equipamentos prediais. Para que isso ocorra, deve haver uma equipe de profissionais de Facility Management que trabalha, incansavelmente, para manter a ordem das coisas e o prédio funcionando da maneira correta”.

Behmer complementa dizendo que “esta equipe tem uma linha de frente de contato com o público, mas tem também uma grande ‘equipe invisível’ que trabalha 24 x 7 para que tudo transcorra na mais perfeita ordem para que ninguém ‘se lembre’ que eles existem. Sempre é uma equipe batalhadora e multidisciplinar para atender toda a infraestrutura de uma edificação seja ela de qualquer tamanho”, finaliza.

Por Jéssica Marques/Foco 21 Comunicação