Congresso e Expo ABRAFAC 2018: Palestrante internacional, Yvet Brummelhuis, fala sobre os desafios do FM na Holanda

O aprendizado do Gerenciamento de Facilities na Europa e dicas importantes para o futuro do Gestor.

O Congresso & Expo ABRAFAC 2018, o mais importante evento do calendário de facilities brasileiro, está chegando! Um dos destaques do evento é o bloco “FM of the World” que traz grandes nomes do setor com relevância internacional para discutir os desafios e tendências no Facilities.

Nosso blog traz hoje uma entrevista especial com Yvet Brummelhuis, da The World of YES, que fala sobre o que será abordado na sua participação, além de apresentar dicas para o profissional brasileiro. 

Yvet Brummelhuis fará parte do “Painel FM of the World”

Apresentando uma palestra com o tema “O aprendizado do Gerenciamento de Facilities na Holanda: o que o futuro nos reserva?”, Yvet Brummelhuis faz parte da The World of YES, empresa que realiza sonhos de profissionais que querem trabalhar no exterior, de acordo a descrição feita por ela. Sua palestra estará inserida no “Painel FM of the World”, sendo um dos momentos mais importantes do Congresso.

Veja uma entrevista especial com Yvet Brummelhuis, realizada pelo Blog da ABRAFAC:

Quais são os principais desafios e oportunidades relacionadas ao gerenciamento de facilities na Holanda?

No momento, eu diria que um dos principais desafios é a tecnologia. Todos nós queremos ser inovadores, especialmente durante esta guerra de talentos, na qual, cada um quer manter o melhor pessoal. Porém, acredito que hoje, há apenas um pequeno grupo de empresas que realmente sabem como fazer funcionar a tecnologia e realmente a integram no gerenciamento de facilities.

Estamos falando de proptech, BIM, etc., mas como isto funciona na prática? Como isto pode ser implantado com sucesso e quais ganhos obteremos? Acredito que muitas empresas também estão lutando com os custos da tecnologia, pois ela não é barata. Ao mesmo tempo, a tecnologia é uma enorme oportunidade, por nos permitir trabalhar de maneira mais eficiente, conhecer melhor nossos clientes e sermos flexíveis. A tecnologia mudará totalmente nosso jogo.

Pelo fato da tecnologia desempenhar um papel cada vez maior no gerenciamento de facilities, nós teremos também que trabalhar muito mais com TI. Nós até tivemos uma discussão sobre se a FM holandesa deveria ser educada sobre o setor de TI durante a especialização, para se manter atualizada sobre todo o desenvolvimento tecnológico e para ser capaz de liderar a mudança de TI no local de trabalho. Afinal, alinhar dois departamentos completamente diferentes será definitivamente um desafio para muitas organizações.

Vimos uma incrível mudança nos últimos dois anos, quando os gerentes da FM holandesa foram capazes de realmente se promover como um departamento que gerou valor. Isto possibilitou que os gerentes de facilities agissem num nível mais estratégico e que participassem muito mais das decisões da diretoria. 

O desafio de provar nosso valor adicional ainda existe: afinal, como se medirá continuamente um ambiente saudável de trabalho, ou como será possível provar que a produtividade dos funcionários seja realmente devida ao bom gerenciado, em termos de facilities? Aqui ainda há trabalho a ser feito!

Quais as principais tendências do gerenciamento de facilities na Holanda?

Acredito que agora mesmo a principal tendência na Holanda seriam as experiências no local de trabalho. Uma experiência no local e trabalho significa que queremos que as ações de facilities sejam constituídas por melhores espaços de escritórios, que permitam que as pessoas trabalhem, de maneira saudável e produtiva, ao mesmo tempo. 

Nós fazemos isto apostando em salas silenciosas para trabalhar ou se reunir com outras pessoas, em espaços agradáveis para reuniões. Todos os tipos de serviço estão incluídos para manter as pessoas saudáveis, como oferecer uma sala de ginástica, onde é possível fazer uma reunião pedalando ou enquanto elas comem um lanche saudável. E não devemos nos esquecer da importância dos edifícios serem sustentáveis!

Há pelo menos três razões por que achamos que esta é uma importante tendência. A primeira delas -e também ocorre aqui -há a guerra sobre os talentos. As organizações querem ser os melhores lugares onde trabalhar, para garantir que os talentos sejam atraídos. Nós não estamos falando de copiar os escritórios da Google, com todos os seus slides, mas muito se pensa nos edifícios mais bonitos, mais sustentáveis e mais confortáveis.

A segunda razão é o fato de termos que trabalhar muitas horas antes de nos aposentar. Isto significa que queremos manter nosso pessoal saudável e seguro, porém produtivo ao mesmo tempo. Os gerentes de facilities tentam, cada vez mais, trabalhar juntos com o pessoal de RH, para ter as corretas percepções de sua força de trabalho e facilitar para que isto seja feito da maneira correta. Essa colaboração com o pessoal de RH também é bastante nova, logo muitas organizações ainda estão descobrindo como melhor fazer isto.

A terceira razão para possibilitar experiências no local e trabalho é o fato de termos que ser mais sustentáveis. Não apenas porque estas são as demandas do acordo de Paris, como também porque nós queremos isto. Algumas organizações adquiriram muito conhecimento sobre edifícios circulares (isto é, cada ativo deve ser reciclável, ou ser capaz de ser reciclado no futuro), e querem aplicar esse conhecimento tanto quanto possível. Isto nos obriga a ter edifícios com paredes verdes ou com quedas d’água interiores, por exemplo.

Quais dicas você tem para os gerentes brasileiros de facilities, para ajudá-los a melhorar suas atividades?

Ouçam seus clientes. Eu fiz uma pesquisa numa grande organização holandesa para descobrir qual era o valor adicionado pelo departamento de gerenciamento de facilities. Perguntei ao usuário final do edifício (isto é, as pessoas que trabalhavam na organização) quais serviços de facilities eram muito importantes para elas. Curiosamente, eram os serviços nos quais o departamento de gerenciamento de facilities necessariamente não colocava muito esforço. 

Os gerentes de facilities focavam parcialmente nas coisas erradas e, consequentemente, investiam nos serviços de facilities errados! Portanto, eu diria para sempre estar atentos sobre o que seus clientes pensam e querem. É realmente fácil para nós preenchermos as lacunas, e geralmente achamos que sabemos o que querem nossos clientes, mas nunca faz mal verificar isto pelo menos duas vezes!

O que você acha desta oportunidade de falar no Congresso & Expo ABRAFAC 2018?

Eu acho maravilhoso. Eu estou trabalhando diariamente numa escala global e realmente gosto de encontrar novas pessoas e de ouvir algo sobre o gerenciamento de facilities em todo o mundo. Obviamente, eu vou participar para contar um pouco mais sobre minha história e sobre o gerenciamento de facilities na Europa e na Holanda, mas eu também estou animada para ouvir as experiências de todos que vão estar presentes! Eu estou realmente feliz de ver a força da comunidade brasileira, pois isto é muito importante!

Congresso & Expo ABRAFAC 2018: Inscreva-se!

O Congresso & Expo ABRAFAC 2018 ocorrerá nos dias 26 e 27 de setembro no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo e mais de mil pessoas são esperadas pela organização.

O evento conta com uma programação especial, repleta de temas que possuem grande relevância para o universo de facilities, onde empresários, especialistas e gestores apresentam cases, tendências e o que há de mais inovador no segmento.

Não perca tempo e garanta a sua vaga!

Para mais informações, acesse: https://www.abrafac.org.br/congresso

Fechar Menu
×

Carrinho